domingo, 14 de outubro de 2012

Deixei tudo empoeirado e taquei dentro da minha gaveta. Daquela ultima gaveta lá em baixo, aquela que tem uma fechadura, da qual eu tranquei e escondi a chave. E cadê a chave? 

E lá tranquei meus sentimentos, todos eles. Bons, ruins, todos, taquei lá dentro e esqueci. Não, não esqueci. Mas os deixei lá, por que foi necessário, por que era o melhor a se fazer. 

Então do que é feita a vida? Do que ela se resume senão do amor? De amor! Você passa a vida inteira buscando felicidade e parece que só a consegue projetando em alguém, Naquele alguém, que te faz tão bem ou tão mal. 

Mas chega uma hora que tu fica só, sozinho. E ai tu enxerga quem é quem. Tu enxerga quem você é. E vale assim a pena, não saber pra onde ir? Quando é que o amor ao outro se torna tão maior do que o amor a si? Do que autopreservação? E quem souber a resposta, estou a disposição. Toda a ouvidos. 

PORRA amor, que é que tu fez comigo?