sábado, 1 de maio de 2010

Carpe Diem


Matei meu ontém, e hoje sou o que sobrou dele.





Meu amanhã será o resultado do que sobrou, adicionando o que está (por vir) sendo construido.





Se eu nem sei quem eu sou, como saber o que serei?





Porém, eu sei que toda turbulência, tem seu fim!

E o que está por vir provavelmente será melhor do que aquilo que já foi.





Serei então, o agora!

Esquecerei o que já foi e o que está por vir.



Carpe Diem, mais uma vez, Carpe Diem!

Um comentário:

  1. Só uma coisa ontem não tem acentuação. Mas sobre o conteúdo, se acha que deve viver o dia de hj é isso ai.

    Os Budistas vivem só presente tb, o futuro e o passado não existem.

    ResponderExcluir