domingo, 14 de março de 2010

Controle?

É ridiculo como a gente não tem controle sobre absolutamente NADA em nossas vidas.
já parou pra pensar?
Um dia você tá bem e feliz e, de repente, naquele mesmo instante em que você imaginou
"pouts, já posso morrer, porque eu já fiz AQUILO que eu realmente queria" naquele mesmo instante em que está tudo dando certo, você pode perder o chão e não ter aonde pisar e muito menos pra onde ir.


Essa semana foi tensa pra mim, primeiro eu tava bem, admito que não considero a melhor fase da minha vida , mas eu tava bem e de repente..
levo um baque e fico doente, por dois dias muito mal, até ir pro hospital ..


Dois dias depois, fez 3 anos da morte de uma amiga muito querida, outro "baque" ou a reafirmação do que já havia sido um baque.


E hoje enquanto eu estou falando com a minha melhor amiga no telefone, muito feliz as duas obrigada, absolutamente do NADA, a ligação caí.
Eu ouvi um barulho estranho e óbvio fiquei preocupada, liguei um monte de vezes e nada.
Passado sei lá uns 20 min. ela me liga chorando porque foi assaltada.
Porra que controle a gente tem sobre as nossas vidas? nenhum! absolutamente nenhum.


Eu odeio e sempre odiei essa maldita sensação de não saber o que vai acontecer, todos os meus temores envolvem o que eu não conheço, porque é isso que nos causa insegurança o desconhecido.


Todos os acontecimentos paralelos e também os não paralelos estão fora do nosso controle, os alcançamos, os vivemos, tentamos fazer planos, mas de nada adianta.


A vida consegue ser bem cruel nesse sentido, acho que só agora eu consigo entender o valor da expressão "carpe diem" e esse realmente deve ser o segredo CARPE DIEM, porque logo ali na esquina, você pode não ter mais essa chance.


Então CARPE DIEM amigos!


Mas não esqueçam, o controle está na adversidade, e o nosso controle? ele está em: ABSOLUTAMENTE NADA!

sábado, 13 de março de 2010

13 dá sorte? Acho que não pra mim.

Hoje três anos, já?
Três anos doloridos depois que você partiu..

E eu ainda derramo lágrimas, e nesse mês um dia após o outro,
choro por todas as vezes que eu fico sem ter o que falar..
sem ter quem ouvir, o que fazer, sem saber quem chamar..
e por todas as vezes que eu fico ao menos sem ter o que sentir.

Não é de luto que eu fico, é puro saudosismo, é só a saudades que bate e deixa uma tremenda agonia mas ao mesmo tempo um certo alivio.
Porque mesmo sabendo que fisicamente você não está mais aqui,
eu sinto que você sempre vai estar do meu lado.

E hoje estou sem palavras pra falar/escrever
bom ou quem sabe eu tenha muito o que falar
mas me falta é coragem.

É amiga onde quer que você esteja "é nóis, te amo". Partiu cedo, cedo demais.
Sempre sentirei sua falta, o tempo pode "curar" todas as feridas,
pode cicatrizá-las mas, a marca continua lá para sempre!

O número 13 defitivamente nunca me trouxe boas lembranças.

segunda-feira, 8 de março de 2010

FAZER

Quando vai chegando essa época do ano, final de Fevereiro,

primeira quinzena de Março, eu fico assim "mal" ou "deprê", tanto faz.

Porque eu começo a lembrar de um monte de acontecimentos durante a minha vida, tantos os bons quantos os nem tão bons assim.

Começo a sentir saudades dos "velhos tempos" e daquelas pessoas que fizeram e sempre farão parte da minha história.

E eu? quantas pessoas se lembram de mim? quantas sentem minha falta, ou quantas me carregam em suas histórias?

Tenho certeza que algumas, mas fico pensando nisso,

será que eu fiz tudo o que podia pra ser "alguém melhor"?

Eu quase sempre fico com essa sensação de que poderia ter feito mais, mas infelizmente meu jeito não me permite, já que afinal, muitas vezes eu me fecho no meu mundo e não deixo ninguém entrar.

Eu não quero deixar as coisas como estão eu quero mudar,

eu quero tentar, quero matar a vontade de querer, quero fazer.

parada há muito tempo e preciso me mexer!

De tanto ficar parada/fechada, já mudei tudo.

E como diz um cara que sabe o que fala "Avião não pousa em aeroporto fechado" (Lucas Silveira)

Já que tanto o fazer e o não fazer mudam TUDO,

eu quero mudar, mas mudar com força e certeza!

Eu quero o FAZER.

domingo, 7 de março de 2010

Nós na Garganta.

Eu tenho muita coisa pra escrever, muita história pra contar,
pouca coragem pra falar, muita coisa pra sentir e demonstrar.


O medo só atrapalha e reprimi o que jamais deveria ser reprimido,
a impulsividade só põe pra fora o que jamais deveria ser dito.


Hoje é um daqueles dias em que eu estou me pegando em muito
saudosismo e até um pouco de melancolia.
Sinto falta de muitas coisas e de outras nem um pouco.


Mas com o tempo a gente vai aprendendo a viver, e a gente só aprende a viver, vivendo.


Então vamos lá, vida me mostra o que você tem pra mim, me mostra o que você tem pra mostrar!


"Ás vezes eu sinto que eu sou o ar".


e aqui escrevo para libertar os "nós na garganta".